Será que você está tentando decidir qual método ou currículo de homeschooling usar ou querendo apenas saber como praticar o homeschool?

Obviamente, nós gostamos do método de Charlotte Mason por aqui, mas como ele se compara aos outros? E qual é a diferença entre as muitas abordagens das quais você já ouviu falar?

Bem, estamos começando uma nova série para ajudá-lo a resolver isso. Talvez você ouviu ou pensou em perguntas ou declarações como essas:

 

“Charlotte Mason não é bem semelhante à abordagem clássica?”

“Pensei que Charlotte Mason fosse estudo por unidade.”

“Então Charlotte Mason é realmente um tipo de unschooling (desescoloarização)?”

“Qual é a diferença entre Charlotte Mason e currículo tradicional?”

 

Vamos dar uma olhada em cinco das principais abordagens ao homeschooling e observar algumas semelhanças e diferenças. Em outras palavras, como a abordagem de Charlotte Mason é diferente das outras quatro: clássica, estudo por unidade, desescolarização e tradicional?

 

Três Perguntas-Chave

 

Para começar a entender as diferenças e semelhanças, precisamos fazer três perguntas-chave.

 

Como essa abordagem vê a criança?

Como essa abordagem define “educação”?

O que essa abordagem afirma ser o papel do professor?

 

 

As Respostas de Charlotte Mason

 

Hoje vamos ver as respostas de Charlotte Mason para essas três perguntas.

 

Como Charlotte Mason vê a criança?

A criança é uma pessoa plena cuja educação deve cultivar pessoa integralmente. A personalidade de uma criança merece respeito e seu apetite natural pelo conhecimento deve ser nutrido.

 

Como Charlotte Mason define “educação”?

 A educação é uma atmosfera, uma disciplina, uma vida.

 “Com isso queremos dizer que os pais e os professores devem saber fazer um uso sensato das circunstâncias da criança (atmosfera), devem treiná-la em hábitos de boa vivência (disciplina) e devem nutrir sua mente com ideias, o alimento da vida intelectual” (Vol.3, pp. 216, 217).

A educação é a ciência das relações. – A criança deve formar relações pessoais com o conhecimento a partir de um banquete de grandes ideias, dadas através de um amplo currículo.

“Eles vêm ao mundo com muitas relações esperando por serem estabelecidas; relações com lugares distantes e próximos, com o vasto universo, com o passado da história, com a economia social do presente, com a terra em que vivem e toda sua deleitosa prole de feras e pássaros, plantas e árvores; com os doces seres humanos por meio de quem vieram ao mundo; com seu próprio país e com outros países; e, sobretudo, o mais sublime dos relacionamentos humanos – sua relação com Deus” (Vol. 6, pp. 72, 73).

 

O que Charlotte Mason afirma ser o papel do professor?

 O professor é um guia. Ele deve cuidadosamente preparar e dispor o banquete de ideias vivas, apresentando a criança às grandes pessoas do passado e do presente que refletiram sobre estas ideias, e então se afastar do caminho e deixar que a criança forme suas próprias relações.

“Dê às crianças uma ampla gama de assuntos, com o fim de estabelecer em cada caso uma ou mais das relações que indiquei. Deixe-os aprender com fontes de informação de primeira mão – livros realmente bons, os melhores sobre o assunto em que estão envolvidos. Deixe-os chegar aos livros por si mesmos, e não permita que sejam inundados com as opiniões de seu professor. O papel do professor é indicar, estimular, dirigir e restringir a aquisição do conhecimento, mas de modo algum ser ele mesmo a nascente e a fonte de todo o conhecimento” (Vol. 3, p.162).

Você vai descobrir que a maioria das diferenças entre as abordagens de homeschooling giram em torno dessas três perguntas-chave. E quando você entender como cada abordagem responde a essas perguntas, você ganhará uma maior confiança no ensino, bem como na seleção de recursos e no planejamento de seu ano de estudo.

Esperamos que a série das próximas semanas o ajude a classificar as diferentes abordagens de homeschool e tenha uma melhor compreensão de como você quer educar seu filho.

 

Reproduzido e traduzido com a permissão de Simply Charlotte Mason.

Traduzido por Arielle Pedrosa