escolhendo livros

É bastante divertido observar os compradores na seção de frutas. Alguns se aproximam de uma cesta de frutas com medo e apreensão. Eles sabem que devem ser exigentes sobre as mangas que compram, mas não fazem ideia de como identificar se ela está madura, verde ou passada.

Outros quase não dão à manga um segundo olhar. Eles supõem que se está exposta, ela deve estar boa para se comer.

Por fim, há aqueles que são peritos em mangas. Eles não veem problema em passar vários minutos escolhendo entre as mangas em oferta, julgando atentamente a qualidade de cada uma.

Você vê as mesmas três mentalidades em livrarias e nos corredores das bibliotecas enquanto os pais escolhem livros para seus filhos. Alguns assumem erroneamente que qualquer livro nas prateleiras deve servir. Alguns desejam selecionar apenas os melhores, mas não sabem o que procurar. E alguns são capazes de encontrar o fruto mais saboroso entre todos os outros.

Charlotte Mason estava nessa última categoria. Ela podia detectar os livros deleitosos e deliciosos em apenas um momento. Mas, o melhor de tudo é que ela nos deixou suas dicas sobre o que procurar.

Charlotte usava os livros como um meio de ajudar uma criança a formar uma relação pessoal com alguém ou com alguma ideia. Mas, nem todo livro pode fazer essa tarefa importante. Aqui está uma pequena lista do que Charlotte disse para procurar quando você estiver fazendo comprando livros. Os livros precisam:

  1. Fazer o assunto ganhar vida.

Para fazer uma conexão real, uma relação, com uma ideia, o livro deve tocar nossas emoções. Meros fatos secos não costumam atingir esse aspecto vital do conhecimento real. Procure livros vivos.

  1. Expor grandes ideias de grandes homens.

Na mesma medida em que nós, pais, gostamos de pensar que sabemos muito, existe muito que ainda não sabemos. Portanto, devemos permitir que nossos filhos formem relações com grandes mentes do passado e do presente. A melhor maneira de entrar em contato com essas grandes mentes é lendo seus pensamentos. Procure ideias valorosas nos livros.

  1. Ser bem escrito.

Charlotte descrevia livros bem escritos com estes termos: “escrito com poder literário”, “uma palavra bem pronunciada”, “pensamentos dignos, bem colocados”, “histórias inspiradoras, bem contadas”. Procure livros escritos em bom e simples português, com um certo charme de estilo.

  1. Não ter linguagem infantil abobalhada.

Evite livros que apresentem “pequenas pílulas de conhecimento misturadas em solvente pobre”. Linguagem abobalhada rebaixa a criança e assume que ela não pode entender mais do que petiscos de informações. Procure por livros de que você, adulto, também irá desfrutar.

  1. Dar às crianças a ideia de que o conhecimento é supremamente atraente e que a leitura é deliciosa.

Em outras palavras, verifique o conteúdo e o estilo no qual ele é apresentado. Procure livros que deem ao seu filho um amor pela aprendizagem através de livros.

  1. Ser o melhor que você pode encontrar.

Charlotte admitiu que às vezes é muito difícil encontrar exatamente o livro certo para a exatamente a ocasião certa. Nesses casos, escolha o melhor que pode encontrar e lembre-se que essas são as exceções, não a regra. Procure o melhor do que está disponível no momento.

 

Ao contrário das frutas, quando você está escolhendo livros não importa se são longos ou curtos, fáceis ou difíceis, velhos ou novos. O que importa é a qualidade. Agora que você sabe o que procurar, use estas diretrizes da próxima vez que você estiver nos corredores da biblioteca ou na livraria. Com um pouco de prática, você se tornará um perito em livros.

 

Reproduzido e traduzido com a permissão de Simply Charlotte Mason.

Traduzido por Arielle Pedrosa