curriculoQuando se trata de cozinhar, parece que existem dois tipos de pessoas: aquelas que seguem a receita à risca, e aquelas que a ajustam.

Aquelas pessoas que tendem a ficar com a receita, provavelmente gostam da segurança de fazer o que foi prescrito.  “Alguém já descobriu como fazer, então eu não preciso me preocupar” pode ser um pensamento muito reconfortante.

Mas, às vezes, as receitas simplesmente não se encaixam em sua situação. Talvez, a pessoa que criou a receita tinha uma paixão por comida quente e condimentada, enquanto a sua família prefere algo mais leve. Talvez a receita diz para assar a 250° C por 15 minutos, mas você sabe que o seu forno não consegue manter a temperatura nessa altura de forma constante.

Assim, a maioria dos cozinheiros aprende a fazer ajustes. Eles podem reduzir a quantidade de pimenta caiena ou deixar de fora o molho de Tabasco. Eles podem acrescentar alguns minutos ao tempo de cozimento. Quaisquer que sejam os ajustes, eles incrementam a receita para melhor se ajustar às suas famílias e suas situações.

 

O Currículo é Como Uma Receita

 

O currículo é muito parecido com uma receita. Quem escreve o currículo está estabelecendo suas próprias preferências; o que funcionou em sua própria situação. Mas, só porque o autor o apresenta de uma certa maneira, não significa que você tem que usá-lo exatamente como está.

Talvez um determinado currículo avança rápido demais para o seu filho; você pode ajustá-lo a um ritmo mais lento. Talvez o currículo não inclua atividades práticas suficientes em sua opinião; você pode adicionar mais um pouco. Talvez você goste de tudo em um currículo, exceto uma pequena parte; deixe-a de fora. Talvez um determinado “ingrediente” recomendado não está disponível onde você mora; substitua por algo similar.

Assim como as pessoas que criam receitas estão lidando com ingredientes – não com as preferências de sua família ou de seu forno mimado –, da mesma forma, pessoas que escrevem currículos estão lidando com o material, não com o seu filho em particular. É impossível escrever um curso que irá abordar as necessidades específicas de cada criança. É aí que você entra.

Ajuste o Currículo

 

Imagine que você estivesse preparando um bolo para uma ocasião especial e a receita dizia para assá-lo a 180°C por 30 minutos. E se, no final dos 30 minutos, você inserisse um palito no meio do bolo e ele saísse sujo? Se você estivesse focado na receita, você arrancaria aquele bolo do forno de qualquer maneira porque o tempo havia acabado. Mas, se você estivesse focado no produto final – um bolo delicioso –, iria deixá-lo no forno e monitorá-lo de perto, até que se tornasse um belo bolo marrom dourado devidamente assado.

O mesmo acontece com o currículo e seu filho. Se você estiver focado no currículo, você vai continuar se desgastando, executando as aulas, mas, possivelmente, sem atingir seu objetivo para a educação específica de seu filho.

Como pai-professor, seu foco deve ser educar seu filho como uma pessoa. De fato, essa premissa é a base sobre a qual Charlotte Mason construiu toda a sua filosofia.

“O pensamento central, ou melhor, o corpo do pensamento, que eu encontrei, é o fato um tanto óbvio de que a criança é uma pessoa com todas as possibilidades e poderes incluídos na personalidade” (Prefácio da Série Início Educação).

Então, não espere um currículo totalmente ajustável que atenda cada personalidade única em sua família; você não o encontrará. Mas, essa é a beleza do homeschooling; você pode fazer ajustes. A qualquer momento.

Você tem essa permissão. Estamos falando de sua família. Estamos falando de seu filho. Você o conhece melhor que qualquer escritor de currículos jamais conhecerá.

Ensine a criança; não apenas o currículo.

 

Reproduzido e traduzido com a permissão de Simply Charlotte Mason.

Traduzido por Arielle Pedrosa