banqueteAlguns dias atrás, uma amiga compartilhou algo emocionante durante o almoço. Ela estava lendo um livro sobre a origem e o uso das cores ao longo da história. Nele, o autor mencionava vários artistas. Minha amiga explicou com entusiasmo que reconheceu muitos deles nos nossos Portfólios de Estudo de Imagem. De fato, algumas das obras específicas desses artistas que o autor citava ela pôde imaginar na galeria de arte de sua mente ao ler, porque ela as tinha observado de perto — as tinha estudado —por si mesma. Ela sabia de primeira mão sobre o que o autor estava falando.

Enquanto ela me contava sobre sua experiência, seus olhos estavam brilhando com interesse e ela expressou um sentimento de confiança e crescimento como pessoa, não apenas porque reconhecera essas referências, mas também porque havia estabelecido suas próprias relações pessoais com elas.

Esses são os momentos que queremos para nossos alunos (e para nós mesmos)! Esses momentos demonstram o que Charlotte chamou de verdadeira educação: “a ciência das relações”.

Uma pessoa verdadeiramente educada tem suas próprias relações pessoais com ideias ao longo de toda a sua vida. E ela vê como algo aqui se relaciona com algo ali; como isto está ligado àquilo que, por sua vez, está ligado a outra coisa. Quanto mais relações formarmos, mais ricas serão nossas vidas.

“A plenitude de vida, de expansão, de expressão e de serviço, para cada um de nós, depende de até que ponto nós apreendemos essas relações e de quantas delas retemos” (Vol. 3, p.186).

Este é o princípio que conduz à segunda dica para um ano estável.

 

Dica # 2: Forneça Variedade

Não fique presa oferecendo apenas os conteúdos típicos exigidos pelas escolas. Sim, ensine história, artes, ciência e matemática aos seus alunos. Mas não pare por aí. Se você deseja que seu filho tenha uma vida plena e uma educação rica, e forme relações com diversas coisas ao longo da vida, você precisa dar-lhe uma grande variedade de conteúdo.

“Devemos nos livrar da noção de que se aprender bem os ‘três R’s’ ou a gramática latina, uma criança não precisa de mais nada. É tão verdadeiro para as crianças como para nós que, quanto mais ampla a gama de interesses, mais inteligente é a apreensão de cada um deles” (Vol. 3, p.209).

Há uma vasta gama de ideias apenas esperando para nutrir a mente e o coração da sua criança na arte, na música, no artesanato, em Shakespeare, na poesia, nos hinos, na língua estrangeira e no estudo da natureza. Não os deixe de lado! Uma das marcas registradas de uma educação baseada em Charlotte Mason é um currículo generoso — um grande banquete de muitos assuntos que proporcionem ao seu filho ampla oportunidade de formar relações pessoais.

Agora, não entre em pânico; às vezes, quando as pessoas descobrem quantos assuntos Charlotte incluía, elas pensam: “Vamos ficar estudando o dia todo!” Não, aqui está a chave: você não trabalha cada um destes assuntos todos os dias. Eles são distribuídos ao longo da semana.

Variedade em sua semana, por meio de uma grande variedade de assuntos, vai ajudar seus dias a serem mais estáveis e tranquilos. Cada dia vai requerer seu próprio ritmo —nada daquele mesmo velho dia após dia, após dia.

Esta rica variedade manterá o interesse e os níveis de energia elevados, porque nas palavras de Charlotte, “a variedade por si só proporciona refrigério” (Vol. 6, p.158).

Além disso, seus alunos, que são únicos, terão, cada um, algo de que gostam mais para aguardar com expectativa. Talvez, um deles tenha dificuldade com as palavras, mas se destaque com as imagens. Com a enriquecedora variedade de assuntos espalhados ao longo da semana, cada aluno terá oportunidade de “brilhar” e se conectar.

A educação é a ciência das relações. Certifique-se de que você está fornecendo uma rica variedade de assuntos que irão incentivar a formação dessas relações pessoais!

 

Reproduzido e traduzido com a permissão de Simply Charlotte Mason.

Traduzido por Arielle Pedrosa